Dúvidas

A sua dúvida pode ser a mesma dos nossos clientes. Aqui você encontra as perguntas mais frequentes em relação às soluções oferecidas pela Franqueira Seguros. Caso as respostas abaixo não solucionem a sua questão, não tenha vergonha de perguntar. Entre em contato conosco, será um prazer atendê-lo.

Se eu tiver mais de uma apólice de seguro de acidentes pessoais, a minha família receberá as indenizações referentes a todas as apólices ou apenas a indenização daquela apólice que tiver o valor mais alto?

Em caso de sinistro, os beneficiários indicados por você receberão integralmente as indenizações referentes a cada uma das apólices contratadas.

Se eu contratar um seguro de acidentes pessoais já tendo um plano de saúde, terei direito a indenização caso eu sofra um acidente e precise ficar internado?

Você terá direito a indenização se tiver contratado a cobertura de diária por internação hospitalar no seguro de acidentes pessoais. Nesse caso, a indenização será paga independentemente da utilização do seu plano de saúde ou mesmo se você ficar internado em um hospital da rede pública.

Sou profissional liberal e fiz um seguro para que eu seja indenizado por dia de trabalho parado em caso de acidente. Eu quebrei o braço e não vou poder trabalhar nos próximos dois meses por orientação médica. Nesse caso, qual o procedimento para receber o pagamento do seguro?

A incapacidade é caracterizada quando o segurado fica impossibilitado de exercer a sua profissão ou ocupação contínua e ininterruptamente, durante o período em que se encontrar sob tratamento médico.  A cobertura contratada nesse caso – diárias por incapacidade – tem um período de franquia de no máximo 15 dias a partir da data do acidente. Já o número de diárias a serem indenizadas vai depender do limite contratado no seu seguro. Para conhecer essa informação, entre em contato com a Franqueira Seguros para consultarmos as condições gerais e especiais do seu contrato. Será necessário apresentar a documentação completa que comprove as lesões causadas pelo acidente para receber a indenização. 

Depois de um AVC, meu pai ficou com o lado esquerdo paralisado permanentemente. Ele possui um seguro de acidentes pessoais, mas a seguradora negou a indenização. Isso está correto?

Neste caso, a seguradora está com a razão, pois o AVC não é considerado “acidente pessoal”, pois não é causado por uma causa externa. A cobertura do seguro de acidentes pessoais é para invalidez permanente causada por algum acidente externo, súbito, imprevisto e independente da vontade do segurado. 

Quais são os riscos de eu assumir a culpa pelo acidente no lugar de um motorista que não tenha seguro e ele pagar a minha franquia?

Esse parece ser um bom acordo para os dois lados, mas é importante que você saiba que essa prática é uma fraude equivalente a roubo. Hoje, cerca de 20% das indenizações pagas têm alguma irregularidade e as seguradoras estão cada vez mais rigorosas, apostando em novas tecnologias para identificar esse tipo de situação. Caso uma irregularidade seja constatada, a seguradora pode inclusive denunciar criminalmente os responsáveis. 

As seguradoras pagam a indenização se eu não guardar o meu carro na garagem em uma determinada noite e ele for roubado?

Caso seja possível provar que o veículo segurado pernoitava regularmente na garagem e que o fato ocorrido foi uma exceção, a maioria das seguradoras paga a indenização normalmente. Porém, a seguradora pode negar o pagamento caso consiga provar que o carro pernoitava na rua regularmente.

Deixei meu carro segurado com um manobrista e ele bateu. O que eu devo fazer?

A primeira providência que o segurado deve tomar nesses casos é fazer um Boletim de Ocorrência e acionar a Franqueira Seguros, que adotará todas as medidas necessárias. A seguradora cobrará os prejuízos da empresa responsável pelo manobrista sem nenhum ônus para o segurado, que será indenizado normalmente. Esse procedimento também é válido para o motorista que deixou o carro com um “flanelinha” para manobrar na rua. 

Tenho direito a indenização se o endereço de residência cadastrado na apólice do automóvel é de uma cidade do interior e o veículo for roubado na capital?

Uma das maiores causas de conflitos entre seguradoras e segurados são diferenças de informação dessa natureza. Nesse caso específico, isso acontece porque o prêmio do seguro em cidades do interior é mais barato do que na capital, onde os riscos de roubo e furto são maiores. Se o segurado reside de fato na cidade do interior indicada na contratação do seguro e provar que estava somente em viagem à capital na ocasião do roubo, o sinistro é pago. Porém, a seguradora poderá investigar, questionar e abrir processos internos que atrasarão o pagamento da indenização. Informar que o endereço de pernoite do carro é, por exemplo, o do sítio do fim de semana e não a residência na cidade é fraude e a seguradora terá o direito de se recusar a pagar a indenização.

Se eu me mudar e esquecer de informar o novo endereço, a seguradora pode se recusar a pagar a indenização em caso de acidente, roubo ou furto?

Ainda que na maioria desses casos não exista má-fé por parte do segurado, a seguradora tem o direito de se recusar a pagar a indenização nesse caso, pois a mudança de endereço precisa ser comunicada. Para evitar problemas, não se esqueça de informar a mudança do endereço em que o carro passará a pernoitar. 

Em casos de acidentes onde for constatada a embriaguez do segurado, existe a cobertura do seguro?

Não. Se for constatada a embriaguez do segurado por um agente policial, com a realização de um teste de bafômetro, por exemplo, a seguradora pode se recusar a pagar a indenização. Caso o motorista se recuse a fazer o teste, o policial ainda pode informar no Boletim de Ocorrência que o motorista aparentava sinais de embriaguez e se negou a fazer o teste do bafômetro. Somente nos casos em que isso não acontecer poderá ser contestado judicialmente o não pagamento por parte da seguradora. 

mais perguntas e respostas